19 de abril de 2012

O óleo de coco e suas múltiplas funções


Além de prevenir e tratar doenças do coração, produto ajuda a cuidar da pele e dos cabelos e ainda auxilia no emagrecimento

A busca por alimentos funcionais, que promovem diversos benefícios à saúde, tem aumentado a cada dia. Um deles é o Óleo de Coco (Cocos nucifera), obtido a partir da carne do coco maduro, que pode ser fresco ou seco. Rico em substâncias antioxidantes e com várias propriedades funcionais, este produto auxilia na prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares e é indicado também como coadjuvante nos processos de emagrecimento.
 

No processo de obtenção do óleo, não são empregados solventes químicos, nem elevadas temperaturas, portanto, seus fitoquímicos são mantidos. Além de sua ingestão ser benéfica ao organismo, o óleo de coco pode ser utilizado com finalidades cosméticas. Como não possui conservantes e/ou substâncias químicas alergênicas, garante o aporte de antioxidantes na pele e ajuda a reduzir danos capilares.


Na pele, atua como excelente hidratante e promove a melhora da elasticidade cutânea, conferindo uma aparência mais jovem e sadia. Pode ser aplicado e massageado direta e diariamente sobre a pele, principalmente em peles mais secas. Seu uso também é sugerido para prevenção de estrias que ocorrem por conta da gestação. 




Propriedades medicinais


O ácido fenólico é a principal substância responsável pela ação antioxidante do óleo de coco, que promove melhora da circulação sanguínea, redução dos níveis de colesterol total, LDL, VLDL e triglicérides e aumento das taxas de HDL, o chamado bom colesterol. Desta forma, também auxilia na prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares. 

Estudo revelou que o uso do óleo de coco é capaz de reduzir o Índice de Massa Corporal (IMC), bem como a circunferência abdominal. Fonte de triglicerídeos de cadeia média (TCM), um tipo de gordura que é rapidamente absorvida e transportada para o fígado, onde se transforma em energia, o óleo de coco aumenta a termogênese, o que potencializa o gasto energético do organismo, além de causar saciedade. 

Diversos estudos demonstraram ainda suas ações em casos como candidíase e gastrite bacteriana (Helicobacter pylori). Cerca de 50% da gordura do óleo de coco é composta pelo ácido láurico que, ao ser ingerido, se transforma em uma substância de ação antibacteriana, antifúngica, antiviral e antiprotozoária. É, também, um potente imunomodulador. 


Na dose certa

Como é um alimento de baixo potencial alergênico, o óleo de coco, de maneira geral, não possui contraindicações quando consumido em uma quantidade de 30 a 45 ml (duas a três colheres de sopa por dia). Recomenda-se começar seu consumo com uma pequena quantidade (equivalente a ½ colher de sopa) e ir aumentando o consumo gradualmente. O consumo excessivo pode levar a diarréia, que cede com a continuidade do uso.

O óleo de coco também pode ser utilizado para finalizar pratos quentes, já que é estável quando submetido a altas temperaturas. Porém, para a preservação de seus antioxidantes, recomenda-se que seja utilizado em preparações frias, como saladas, sucos e shakes ou em torradas e tapiocas.



Bruna Murta - nutricionista 


Saiba mais sobre óleo de coco - http://www.facebook.com/targetsuplementos



Postar um comentário

Por favor ... deixe seu comentário.