9 de junho de 2011

O Famoso Acordão Brasileiro



Não tenho meios para afirmar se o ex-ministro Antonio Palocci cometeu irregularidades ou não. No entanto, que a história é estranha e os indícios são flagrantes e robustos, ninguém discuti.

Diante disso, o seu afastamento do governo Dilma foi bastante prudente, já que ainda que Palocci não tenha cometido irregularidades, a oposição não daria sossego ao governo.

Até ai, tudo mais ou menos bem, porém...

Porém, com sua retirada do governo federal, tudo indica que o caso Palocci será mais um capítulo da famosa cultura brasileira de composição e acordo entre as partes diante de situações aparentemente inegociáveis. O que eu chamo de acordão brasileiro. Ou seja, Palocci sai de cena e suas supostas práticas ilegais ficam esquecidas. Se de fato houve irregularidades, nunca saberemos, pois não haverá apuração e muito menos punição. Algo que também convém à oposição, já que o único objetivo é o jogo político e não o interesse nacional.

Fora assim quando da nossa independência, na qual a família real portuguesa continuou a mandar em nosso país mesmo após nossa alforria. Não deixou de ser diferente na redemocratização após anos de ditadura, com a anistia dos protagonistas do regime e, pasmem, a permanência deles no cenário político nacional.

É bem verdade que Palocci enterrou vôos mais altos em suas ambições políticas, como a ex tão falada disputa ao governo de São Paulo. Todavia, seu belo patrimônio, amealhado em tempo recorde e em circunstâncias obscuras e bastante suspeitas, está a salvo em mais um capítulo da famosa prática do acordão brasileiro.

E diante de assunto tão peculiar a nós brasileiros não poderia deixar de citar o banqueiro Daniel Dantas, lembram-se dele?

Pois bem, o ex-banqueiro, acusado de diversos crimes financeiros e desvio de verbas públicas, foi absolvido! O STJ (Superior Tribunal de Justiça) anulou as provas e a condenação do banqueiro Daniel Dantas.

Dizer o que: que a impunidade impera? Ora, nisto não há nenhuma novidade!




Por : Pedro Rossi

Um comentário:

  1. Evidentemente Pedrão,Didil e o filinho nunca entrariam num jogo pra perder.Gerson está aí de prova,eles querem levar vantagem em tudo,isso desde os tempos da corôa.In ou felismente não há mais espaço pra indignação.

    ResponderExcluir

Por favor ... deixe seu comentário.