6 de dezembro de 2010

Inteligência X Beligerância

Uma reflexão sensata acerca das ocupações dos morros cariocas. Ao invés do uso da força indiscriminada e dos tristes e ignorantes derramamentos de sangue desnecessários, uma saída mais inteligente que leve a resultados mais eficazes e duradouros.




Retomada da Rocinha. Furor bélico é prejudicial. Lição no WikiLeaks

Hoje, em manchete, o jornal O Globo informa que o chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Allan Turnowsky, disse que as suas equipes policiais estão treinadas e prontas para iniciar, de pronto, as ocupações da Rocinha e do Vidigal.

Mais cauteloso, o almirante comandante dos fuzileiros navais alertou não haver nenhuma área no Rio imune ao ingresso dos seus comandados.

O chefe da Polícia Civil parece querer iniciar uma guerra.

No entanto, esqueceu ser pacificadora a política do governo estadual, que, frise-se, usou adequadamente da força para reprimir os ataques espetaculares impostos à população e ao Estado. Ataques espetaculares por uma formada confederação criminal: os serviços de inteligência deixaram vazar, bem antes da retomada do Complexo do Alemão, a descoberta de uma reunião entre os líderes das organizações rivais (Comando Vermelho e Amigos dos Amigos). Os líderes, presente o chefão do Complexo do Alemão, celebraram um pacto voltado à união de forças em face das Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs).

O chefe da Polícia Civil parece ter esquecido a política pacificadora: UPPs. Não houve guerra tingida por sangue de civis inocentes nas implantações das 13 UPPs. Prevaleceu a dissuasão, com a previsível migração dos membros de facções criminosas que mantinham controle social e de territórios.

Acabar com a secessão na Rocinha e no Vidigal não é tarefa onde deva prevalecer o ataque bélico. O animus beligerante do chefe da Polícia Civil deve ser controlado pelo secretário da segurança Beltrame, que tem se mostrado um homem equilibrado e que dá importância ao planejamento estratégico.


–2. PANO RÁPIDO. O vazamento do WikiLeaks pode ajudar. Tem uma passagem com o presidente sírio Bashar Assad, em conversa com senadores norte-americanos: “Vocês possuem um gigantesco aparato de informação. Nós, sírios, não temos esses recursos. Mas, somos bem sucedidos no combate aos extremistas porque contamos com melhores analistas. Vocês gostam de fuzilar terroristas, mas sufocar as redes dá melhor resultado”.

Que tal pensar em sufocar as redes que colocam drogas e armas na Rocinha e no Vidigal?





Por : Pedro Rossi


 



------------------------------
Curtiu o Blog ?
Acompanhe pelo Facebook

Um comentário:

  1. Quanto menos violência melhor... aqui no Brasil parece que a filosofia é matar porque não sabem o que fazer com as pessoas. O problema é que nesse afã, morrem muitos inocentes. Enfim, acho que essa bronca foi muito bem dada.
    Beijokas.

    ResponderExcluir

Por favor ... deixe seu comentário.