28 de junho de 2010

Sabatina com os presidenciáveis

Estive presente nas sabatinas da Folha de S.Paulo com os presidenciáveis José Serra/PSDB (21/06/2010) e Marina Silva/PV (16/06/2010). A candidata do PT Dilma Rousseff, que seria sabatinada no dia 17/06, cancelou sua presença na véspera em razão de uma viagem à Europa aparentemente insignificante. Uma pena! Foi uma ótima oportunidade para se conhecer melhor os candidatos.

Fiquei muito bem impressionado com a candidata Marina Silva. A acreana se mostrou disposta a realizar um debate de alto nível, verdadeiramente voltado à discussão de questões relevantes.


Marina provavelmente possui marqueteiros políticos em sua equipe. Todavia, a impressão que eu tive, foi que eles têm papel secundário em sua campanha Em vez de discursos formatados e engessados, voltados ao que o povo quer ouvir com o nítido interesse de angariar votos, a senadora apresentou um discurso consciente e realista. Não prometeu o inviável nem atacou seus adversários indistintamente.

Sua principal diferença para os demais candidatos é a convicção de que o Brasil pode e deve crescer e se desenvolver de forma ambientalmente responsável. Na visão da candidata, Dilma e Serra não têm este compromisso, senão o do desenvolvimento sujo, com emissões de carbono acima dos níveis aceitáveis. Foi também, segundo ela, este o motivo de sua saída do governo Lula e do PT.

Já a sabatina de José Serra revelou um candidato ávido a se mostrar um grande realizador. Tudo foi ele quem fez, criou, introduziu na Constituição Federal, idealizou... Até lembrou o Maluf e seu infame slogan “Foi Maluf que fez”. Dessa forma, Serra busca se diferenciar da ministra Dilma ao mostrar que possui mais experiência e gabarito para o cargo. O problema, entretanto, é que não adianta só ter capacidade para governar. As idéias e políticas que pretende se colocar em prática é que são fundamentais na avaliação de uma candidatura.

E neste ponto, sabe-se muito bem que o PSDB e Serra têm uma visão neoliberal que confronta com um desenvolvimento mais justo e menos desigual. Em outras palavras, a política tucana, tão conhecida de nós paulistas, não é pródiga em contemplar a queda da brutal desigualdade social brasileira.

Outro ponto interessante da sabatina foi a discussão da CPMF, da qual Serra defendeu, assim como o governo Lula, sua prorrogação, rejeitada pelo Congresso, em dezembro de 2007. Apesar de se tratar de tema espinhoso, Serra afirmou que retomará o projeto se eleito.

É por isso, e pela falta de explanação de idéias da ministra Dilma, que preferiu os parcos holofotes europeus ao debate com seu eleitorado, que estou propenso a dar meu voto a senadora Marina Silva.




Por : Pedro Rossi

6 comentários:

  1. Contanto q não suba o PSDB de novo, tá bom pra mim.

    ResponderExcluir
  2. Acho q vou votar nulo...
    a unica certeza que podemos ter e q independendo de quem for eleito teremos um presidente que parece que veio de um filme de monstros!

    te seguindo... me segue?

    http://deixakieto.blogspot.com/

    Abçs!

    ResponderExcluir
  3. Erich,

    Eu não faria questão nenhuma de estar nesta sabatina, pois sei que tudos que eles falam é só para encher lingüiça...

    Quanto ao voto, melhor não votar em ninguém, pelo menos sabemos que não teremos direito de reclamar quando o pretenso candidato for eleito.

    Adorei!

    Bjs.

    Rosana.

    ResponderExcluir
  4. eu vou votar esse ano e tá dificil escolher algum.toda semana eu decido em quem eu vou vtar até que aparece algo que muda minha opnião

    ResponderExcluir
  5. Nessa hora eles são os anjos da salvação, depois kkk Esquecem quem foram e se transformam.
    Abraços forte

    ResponderExcluir

Por favor ... deixe seu comentário.