7 de abril de 2010

Moça Rebelde

Faz um tempo, uma linda moça apareceu aqui.
E eu, um simples caipira ouvindo seu choro, então, a recebi.
Ela estava de passagem mas nem sabia direito pra onde ir.
Sua voz era um canto suave seu cheiro fazia o vento dormir

Ela disse que fugiu de casa, era rica, mas não vivia bem.
Me perguntou o que eu tinha de riqueza terra ou dinheiro pra ser alguém.
Eu disse: "Moça, eu sei muito pouco mas tudo o que aprendo me faz ser feliz e essa vida que eu levo de um jeito muito simples é a vida que eu sempre quis".

Eu era um caipira vivendo entre a campina e as estrelas do céu e ela ainda era uma moça rebelde, uma colméia linda, sem favo e sem mel.
Pra ela, tudo era ter o mundo e sapatos de ouro calçados nos pés.
Mas pra mim sempre foi diferente ser filho de Deus é tudo o que se é.

Mas o tempo passou e ela ficou comigo.
Destino sem explicação.
O feitiço e a magia da natureza mudaram seu coração.
Hoje, a moça rebelde e eu estamos juntos e vivemos de amor.
E as flores de um passado triste murcharam, morreram, perderam a cor.





Composição: Victor Chaves

3 comentários:

  1. Muito bonito!
    Eu gosto desta dupla!
    Abs!

    ResponderExcluir
  2. Putz cara, num curto esses caras não...

    abç
    Pobre Esponja

    ResponderExcluir
  3. Gostei do texto, mas não gosto de música sertaneja.
    Sucesso com o blog!

    ResponderExcluir

Por favor ... deixe seu comentário.