15 de junho de 2009

Paradoxos

A atuação da Polícia Militar muitas vezes não condiz com sua função precípua, a de zelar pela segurança pública e pela proteção da pessoa humana. Situações beligerantes totalmente evitáveis, contraditoriamente, são criadas e exacerbadas pela ação despreparada da polícia.

Na semana passada o campus da Universidade de São Paulo (USP) foi palco de confronto entre policiais e parte de alunos, funcionários e até alguns professores da comunidade. Os uspianos citados faziam manifestação pacífica no portão principal da universidade. Ao retornarem à universidade, alguns destes manifestantes insultaram e cercaram policiais, o que não se coaduna com o ato de reivindicação que era realizado, a despeito das pesadas críticas de setores da USP com relação à presença policial na universidade. Ocorre que a ação policial decorrente disso foi desastrosa, pois desproporcional. No caso em voga deveria se repreender os poucos manifestantes que procuraram intimidar a polícia. Entretanto, chamou-se a tropa de choque e em seguida se viu cenas lamentáveis de tiros, bombas e feridos. Não era necessário tudo aquilo, simples assim. A grande maioria dos cerca de 2000 manifestantes não agia de modo a justificar tais atitudes.
Digo isto com tranqüilidade pois estudo no curso de Ciências Sociais da USP, um dos focos do movimento grevista, e fui contra a paralisação das aulas que estava tendo antes da greve se instalar de fato. Por duas oportunidades tive aulas interrompidas por aqueles que queriam discutir os rumos do movimento e votei a favor da continuação das aulas. Também votei contra os piquetes dentro do meu curso. Além do mais, também entendo que apesar das reivindicações poderem ser justas, há interesses políticos em jogo que não deixam claro até que ponto elas são o real objetivo das manifestações ou se são mero pano de fundo para interesses ocultos.
Nos estádios de futebol, então, a polícia militar de São Paulo dá aulas e aulas de despreparo. Sua forma de agir, pasme, muitas vezes propicia a violência. Não que os marginais que a cometem sejam vítimas ou inocentes. Muito pelo contrário, tanto que sou totalmente a favor do fim das torcidas organizadas como uma das principais formas de se diminuir a violência nos estádios. Mas se o Estado as permite, inclusive escoltando pra lá e pra cá, o que é um absurdo do ponto de vista de política de segurança pública, que ao menos aja de forma condizente com o proposto. Porém, ao que tudo indica, no caso do confronto das torcidas organizadas de Corinthians e Vasco no último dia 03 de junho que resultou na morte de um torcedor, foi a polícia quem “armou” o palco de batalhas.
Logo após o incidente se veiculou, principalmente por fontes vindas da polícia, que se tratava de uma emboscada da torcida corinthiana à vascaína. Entretanto, relatos dão conta de que a polícia “conseguiu” parar ambas torcidas uma ao lado da outra na marginal Tietê sabe-se lá pra quê. E, com isso, entregou de bandeja 60 corinthianos a 800 vascaínos famintos. Questiona-se, com razão, como 60 corinthianos armariam uma emboscada para 800 vascaínos? Como estes poucos corinthianos parariam um comboio de 800 vascaínos com patrulha policial em plena marginal Tietê?
Reitero, mais uma vez, que não se trata de defender estes torcedores briguentos, sobretudo as torcidas organizadas. Somente a disposição da polícia em agir exatamente de forma oposta a que se espera. E ainda se eximir das suas responsabilidades.
Mas talvez o grande paradoxo destes dias tenha sido as eleições para o parlamento europeu. Em meio a uma das maiores crises econômicas, fruto de políticas econômicas neoliberais que exaltam o mercado e minimizam o papel do Estado na economia, os partidos de centro-direita foram os grandes vencedores do pleito. Justamente os partidos que pregam e promovem tais políticas econômicas neoliberais.
Vai entender.
---------------------------------------------------------------------------------

Gostaria de dizer ao atencioso leitor Wander Veroni, que sempre deixa seus interessantes comentários em meus textos, que os mesmos são sempre bem vindos e que não há problema algum em discordar das minhas opiniões.
Abraço ao Wander e a todos os leitores do blog.
Por : Pedro Rossi

11 comentários:

  1. Muito bom o texto, é a realidade mesmo. A polícia de hoje em dia é uma vergonha. Tanto nos eventos públicos como também nas residências, você liga pro 190 e depois de 1 hora eles aparecem, palhaçada.
    Parabéns pelo seu blog.

    ResponderExcluir
  2. passasndo pra comentar , de olho no jogo do brasil e comentando ahuahuahua

    abrç

    www.celebritypoke.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. O mais complicado nisso tudo é que a polícia cumpre o papel que é designado a ela pelo Estado, ou seja, se o Estado e a sociedade (como legitimadora) cobram uma polícia que se comporte como uma evolução dos capitães do mato, então é isso que a polícia fará.

    Infelizmente as pessoas só percebem o quanto isso é nocivo quando tem que lidar diretamente com as expressões dessa polícia que alguns de nós tanto cobram.

    ResponderExcluir
  4. Como sempre nos protestos, 90% vem protestar pacificamente, enquanto uns f.d.p de uns 10% quer vandalismo, provoca a polícia (vi até uma noticia desse protesto que, alunos agrediram policiais que apenas estavam orientando o transito da região e nada tinham a ver com o protesto), e a policia, preparada apenas pra "meter o coro" desce a lenha em todo mundo. Esse é o sistema arcaico do Estado: uns causaram a confusão, todos serão punidos como exemplo.

    E nem precisa ter protesto ou tumulto pra tanto. Nunca me esqueci do que fizeram com amigos meus no tempo dos ataques do PCC, onde a policia foi revista-los e mesmo sem reagirem, tacaram spray de pimenta em seus olhos. Fora as mortes e a chacinas que até hj nao foram esclarecidas, dessa época.

    Faz tempo que eu n vinha aqui. Vc mudou o layout neh? Ficou legal.

    Abçs!!!

    http://blogpontotres.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. A parte do texto a qual vc poderia desenvolver melhor - e de forma opinativa - é a que vc critica a minimização das rsonsabilidades do Estado.

    Trazer à tona a verdade sobre o neoliberalismo é sempre interessante.

    Por outro lado vc se perdeu quando se ateve a falar sobre a briga das torcidas, questionando as fontes de quem noticiou a emboscada e não citando nenhuma fonte consistente da sua versão contrária.

    Pense nisso.

    ResponderExcluir
  6. Achei a ação da polícia muito exagerada. A quantidade de viaturas que se colocaram na frente do campus e a cena dos estudantes sentados no pátio, lembrando Carandiru, foram demais para mim.
    Quanta coisa errada acontecendo na cidade, tanto bandido precisando ser preso, tanto cidadão sendo assaltado, agredido, e aquela quantidade esquisita de policiais enfrentando estudantes com atitudes nada agressivas!

    http://sarapateldecoruja.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Pedro!

    Antes de mais nada, fico feliz com a homanegem carinhosa que vc colocou a mim no final do post: muito obrigado!

    Gosto muito do seu texto pq sei que vc sempre levanta a bola para o debate e para reflexão, parabéns! Bom, nem sempre eu concordo ou discordo com que vc escreve. Mas, o bacana é isso: um poder trocar ideia com o outro e, ao mesmo tempo, com os outros leitores.

    Comentando o post...

    Sempre me perguntei sobre esse "despreparo" da PM ao lidar com multidões. Generalizar que todos são marginais, não dá! No caso da USP, a PM se perdeu. E, praticamente, caçou briga com os manifestantes. Pegou muito mal!

    Já no caso das torcidas nos estádio, então....tem anos que não vou a um jogo por causa disso: sempre tem uma briga entre polícia e torcedores. Se o Governo não criar ações, não só de educação, mas de prevenção e punição, a violência não acabará.

    Abraço,

    http://cafecomnoticias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Muito Bom Blog parabens !


    Afim de baixar Alguam coisa ?
    entrem nesse Blog ae !
    De download e deixe seu pedido !
    http://dowloademocao.blogspot.com/
    's

    ResponderExcluir
  9. Então queria me expressar sobre dois pontos

    1. algumas vezes a policia age de acordo com interesses.. digamos mais fechados a elite. Ou seja alguem com poder manda e a policia executa

    2. algumas pessoas se aproveitam do fato da policia estar no local e começam com atos agressivos gerando assim uma grande confusão e colocando a policia como culpado no fim

    já vimos varias vezes casos de abuso de poder, mas também ja vimos pessoas provocando a policia

    são os dois lados da mesma moeda pra mim

    ResponderExcluir
  10. Queridos amigos avassaladores...
    truculencia policial não pe privilegio brasileiro. Em Londres, mesmo ... são terrivelmente rudes e violentos. Em Paris, acada estação do metro.. ao abrirem as portas... entram duplas de policiais e observam o vagão com caras assustadoras.. ese veem alguem com cara de terrorista imediatamente começam a interpelar por documentos etc mas com uma agressividade horrivel e assim é no mundo inteiro...
    Não estou com isso, concordando com a forma de ação... mas apenas apotando a violencia como naturalizada no mundo inteiro.

    ResponderExcluir

Por favor ... deixe seu comentário.