18 de maio de 2009

Fala, Suplicy.

Na semana passada foi realizada a “V Semana de Ciências Sociais” da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da USP. O evento versou sobre os 20 anos das eleições diretas e da democracia no Brasil.

Por coincidência, a abertura do evento, no dia 11/05/2009, teve como um de seus depoentes o senador Eduardo Suplicy (PT – SP). Digo coincidência pois em meu penúltimo post, publicado no mesmo dia 11/05/2009 mas escrito dias antes, fiz críticas negativas ao senador em virtude de sua namorada ter viajado à China com ele, que estava em viagem oficial, as custas da cota aérea destinada ao Parlamentar Suplicy, ou seja, as custas do dinheiro do contribuinte (no post anterior, intitulado “Até tu, Suplicy.”, eu não havia mencionado que a passagem havia sido utilizada por sua namorada).

Após os depoimentos dos convidados, perguntas lhes foram feitas. E para Suplicy pipocaram perguntas sobre o desânimo, o descrédito e o descontentamento do povo brasileiro para com o Congresso Nacional, sobretudo após os recentes escândalos que os envolve. Ocorrem que entre estas desedificações encontra-se a farra do uso das passagens aéreas parlamentares, no qual Suplicy foi inserido, com o caso acima descrito, pelo jornal Folha de S.Paulo em reportagem publicada dia 06/05/2009.

Sendo assim, ao tomar a palavra, Suplicy prontamente fez questão de comentar as acusações que lhe pesam. Ressalto, de antemão, que não lhe foi perguntado, de forma direta, para que falasse sobre o “seu” caso do uso indevido das passagens aéreas. Mas o senador encarou o problema e explicou que estava em viagem oficial à China e que sua companheira (namorada) também havia sido convidada. Que todas as despesas dentro do território chinês, as dele e de sua namorada, inclusive de transporte, foram pagas por eles, chineses, de quem partiu o convite.

Suplicy declarou que o uso das passagens de sua cota pela sua companheira se deu no trecho aéreo São Paulo – Paris, pois o trecho Paris – China foi custeado, também, pelos anfitriões.
Ademais, disse que concorda e apóia o novo projeto sobre o uso das passagens aéreas parlamentares, somente para os respectivos e seus assessores, e que nestes anos todos como congressista possui um crédito nas suas cotas aéreas de aproximadamente R$290.000,00. Estava visivelmente constrangido.

De qualquer forma, digo que o deslize foi cometido. O senador não fez nada ilegal, é fato. Mas o ocorrido é moralmente indigesto, no mínimo. Espero que o constrangimento e a inquietação, que alegou vir passando nos últimos dias, com este fato sejam verdadeiros e que sirvam de exemplo para a sua correção de rota rumo aos bons costumes políticos, que outrora lhe foram sinônimos. Caso contrário...


Obs: Em nenhum momento o senador criticou o trabalho da imprensa em relação às acusações contra si. Ao contrário, o elogiou.

Obs 2: O senador não mencionou na sua fala, mas já devolveu o dinheiro das passagens de sua namorada.

14 comentários:

  1. oi td bem!!!!
    gostein de seu texto bem atual e nada cansativo!!!!!

    Apesar de ser bahiano, gosto muito do suplyci aliás aqui na bahia todos temos muito affer por marta, eduardo, supla e toda a familia...

    ps:
    Agora ficou uma duvida!!!!
    vc acreditou mesmo que ele devolveu!!!
    porque quando eles devolvem a mídia nunca tem acesso?

    abraços!!!!

    ResponderExcluir
  2. o suplicy é um poço de simplicidade. me parece um cara honesto, mas as vezes peca por deixar as coisas acontecerem sem fazer críticas mais duras...

    ResponderExcluir
  3. O Suplicy, como qq homem probo que se prezasse, deveria saber que não se pode fazer tudo o que se quer quando se envolve dinheiro público. A 'lei' pode até deixar, mas a Administração Pública tbm se dirige pela moralidade administrativa. Uso de dinheiro público pra custear viagem de namorada é foda!!!

    Mas, graças a Deus, temos um parlamentar como o Senador Suplicy, que não ataca a imprensa qdo ela está certa (ao contrário do próprio Lula), que sabe reconhecer um erro e revertê-lo, quando possível. Devolveu o dinheiro? A gente perdoa :-)

    Abraços o/

    ResponderExcluir
  4. suplicy é um dos poucos que eu gosto e voto

    ResponderExcluir
  5. A linha entre o ilegal e o imoral é tão tênue...

    Como muitos aqui, eu simpatizo com ele e votaria nela, mas...

    Precisamos encarar os fatos. SP-Paris é imoral, sim!

    ResponderExcluir
  6. Bom, pelo menos neste caso houve algo de "positivo", pode-se dizer assim..pois em vista de outros casos.. O suplicy foi um anjo!

    Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  7. como já disse outro senador: "estou pouco me lixando"

    cara isso ta ridiculo já, no meu blog tem um video de um comentarista sentando o pau nessa situação

    ResponderExcluir
  8. Oi, Pedro!

    Sempre atento ao cenário político, hein! Muito bom o seu texto. Sou fã do trabalho do Suplicy, mas por mais que essa coisa das passagesn aéres sejam legais, como vc bem colocou, fere a nossa moral como cidadão. O que sinto, mesmo de forma tímida entre as pessoas, é que alguns assuntos do legislativo nacional começaram a entrar com mais força nas rodas de conversa. Isso é muito bom pq faz com que o eleitor pense bem no que está fazendo com o seu país quando vota em alguém que não tem essa preocupação com a sociedade ao assumir um cargo público.


    Abraço

    ResponderExcluir
  9. acho triste saber que o governo gasta o dinheiro do povo em coisas para eles, usam do dinheiro para se esbanjarem no luxo...

    ResponderExcluir
  10. Recentemente escrevi no jornal que os politicos já estão acostumados com as mamatas que pagamos pra eles e os que estão devolvendo o dinheiro é pq não estão "pouco se lixando" para a opinião pública, ao contrário dos demais...
    esses se importando com ela e contam com isso para se reelegerem e continuar com as regalias...

    gostei do blog...
    o texto da sócia é ótimo....rsrsrs

    Dta

    ResponderExcluir
  11. esse negoço das passagens espero que já tenha se tornado passado depois da aprovação dessa lei.Eu acho interessante que quando os repórteres perguntam para os políticos se eles já usaram passagem pagando com dinheiro publico,eles dizem:"sim,mas era legal na época",falando com medo da opnião publica

    ResponderExcluir
  12. Vejo uma honestidade no olhar de Suplicy, a imprensa está ai para apurar os fatos e é assim que tem que acontecer tudo que é errado e for verídico deve ser mostrado ao povo.

    BLOGdoRUBINHO
    www.blogdorubinho.cjb.net

    ResponderExcluir
  13. Se ele devolveu mesmo não sei, e pra ser sincero nem faz tanta diferença. O que tem que mudar, urgente, são as atitudes, o governo precisa de uma limpeza total. Quando teremos ética na política?

    ResponderExcluir
  14. cara ele um cara de pau vai ser
    falso na casa dele .

    ResponderExcluir

Por favor ... deixe seu comentário.